memorytapes(2)

Ultimamente tenho revisto meus conceitos sobre uma série de aspectos, e lógico sobre uma série de conceitos.

Uma dessas coisas que andei mudando o olhar e minha percepção, foi a tal é a música eletrônica. Um dos motivos se deve a entrada, cada vez mais freqüente, de elementos eletrônicos no rock como um todo. Mas bandas como Hercules and Loveaffair e Justice tem sua porção de culpa.

Mais uma dessas culpadas, por esse repentino “entendimento do eletrônico” é Memory Tapes, que fizeram um baita de um álbum, muito lounge, que soa naturalmente eletrônico. Os elementos e as batidas são tão bem empregados que fluem com muita naturalidade, parecendo que o instrumental (sampler ou não) e o eletrônico fazem algo com uma simbiose (viajei), tornando ainda mais bacana o álbum.

07282009_memory_tapes

Mas tudo o que eu falei antes pode ser sentido facilmente, na audição as músicas fluem com naturalidade. E toda essa fluidez do álbum, não o torna fugidio ou dispersivo, bem pelo contrário, a “suavidade” de sua audição permite a quem escuta prestar atenção em uma infinidade de detalhes, nos samplers, nas guitarras em todos os instrumentos, reais ou não, presentes. (durante a pesquisa, descobri que esse projeto é bem maior do que imaginei, portanto tem um post extra amanhã, ou hoje se der tempo.)

Plain Material

Boas Enjambradas!

Anúncios