Banda Gentileza - Foto 2 (credito Diego CWB)

Parece que o hype da música nacional dos últimos tempos tem sido ressuscitar ritmos que estavam jogados as traças, empoeirados pelo tempo e por novas modas. E este grande aspirador de pó que a música indie (se quiser usar Underground ou Alternativa, tá blz!) nacional se transformou, por incrível que pareça, tem feito ótimas faxinas e garimpado nos entulho da MPB referências cada vez mais bregas e cada vez mais divertidas. Depois só passa um lustrador da marca I´m Indie dando um ar “sofisticado”.

E cada vez mais aparece um loco pra fazer isso, e o pior que tem ficado legal, tai o álbum do Cidadão Instigado que não me deixa mentir. Mas eu não to aqui pra falar da banda do Catatau. To aqui pra falar de Gentileza, pois como já disse o próprio “Gentileza gera Gentileza”. Ops! Gentileza errada (existe gentileza errada, tai?). To aqui pra falar da Banda Gentileza e de seu álbum de estréia, melhor, de seu baita álbum de estréia.

Introdução devidamente dada, vamos aos trabalhos. Fazendo tudo o que foi dito no primeiro parágrafo, Heitor e Cia, trazem um álbum repleto de referências no melhor estilo aspirador de pó, desempoeiraram a valsa, a bossa, o samba e mais umas coisinhas. Todo esse mix revela uma banda e um álbum competentíssimos, fazendo seu debút com todos os méritos com direito a bolo vivo e tudo.

O álbum começa festivo com uma parada meio mariachistica, em Coracion mantendo essa vibe nas próximas faixas, até chegar em Piá de Prédio, ai os caras quebram tudo, com uma balada daquelas bem mongolonas e melacuéca, que deixa todo mundo bobinho, repetindo: Que bunitinha. E realmente, a música é fantástica e a letra muito linda, revelando talento pra extrair beleza das mais variadas formas, como mais adiante em Teu Capricho, Meu despacho e 33B.

Mas linhas devem ser deixadas em separado pra música que mais tem rodado no foninho velho de guerra, Sempre Quase uma espécie de Balada do Louco (Mutantes) misturada com Sociedade Alternativa (Raul) e que dá muito certo. Possuindo uma das frases mais bacanas do ano: “Limpo a ferida com algodão-doce, sangro suco de uva”…

Banda Gentileza - capa

Em suma a faxina da Banda Gentileza foi muito bem feita, fizeram um álbum bem limpo (putz! trocadilho fraco).

Teu Capricho, Meu Despacho (no música de bolso)

Piá de Prédio (no música de bolso)

Boas Enjambradas!

Anúncios