Foi bom pra você?

Esta frase é a mais temível de todas as sentenças, especialmente pela resposta do que pela pergunta. E geralmente é acenada com respostas positivas, por mais que, sei lá, em 70% das vezes seja falsa (mulherada fala sério).

Ilustrada classicamente, acompanhada de cigarro e lençóis, o “foi bom” diz respeito a muito mais do que a transa, carrega consigo todo o processo, preliminares e conquista.

Sendo assim, The Vaccines foi bom pra você? Um bom bocado dos leitores já devem ter escutado o “What did you expect…” já sabem do hype e da papagaiada toda de comparação com The Strokes. Estas foram as expectativas sobre o The Vaccines, e aí foi bom?

Você pode falar que não viu nada de novo no disco todo, que são muito pretensiosos, que utilizam referências fortes demais, quase “plagiativas”, de The Beatles, The Strokes, The Ramones e outros tantos The

Mas amigo, nestes supostos problemas se escondem os grandes ganhos e trunfos de What Did You Expect To The Vaccines. A falta de “inovação” é um ponto forte pra cara***, Young e seus vacininhas conseguem um disco rock nos moldes clássicos, como a muito tempo não se via. Exagero? Pode até ser, mas as melodias já são velhas conhecidas de muita gente, eu mesmo mostrei as semelhanças entre Blow It Up e I Should Have Known Better dos Beatles. Noogard tem vibe “ramônica” que só.

E no estado que está a música atualmente, é louvável uma banda indie que consegue montar um disco com 11 faixas, das quais 10 tocariam tranqüilamente em qualquer rádio, sendo que 4 figurariam entre as preferidas daquela rádio FM “pop” que você reclama, mas escuta.

Wreckin, Bar (Ra, Ra, Ra)

Post Break-Up Sex

If You Wanna

Então? Foi bom pra você? Boas Enjambradas!

(Não vou prometer mais posts, pois das vezes que prometi, não cumpri)

Anúncios