Começo assim, parafraseando Rogério Skylab, mais uma história comum sobre um dia normal, um dia chuvoso e normal. Onde os pássaros dançam o New Beat em ritmados pulos e bater de asas, as nuvens pegam seus pares para o baile, o ônibus desfila pelo asfalto já colorido de sol, água e gasolina, a chuva pinga cadenciada acompanhando o baixo de Divina. E mais uma vez Underneath The Pine esta rodando no meu player.

A cena da manhã desta quinta-feira, onde pássaros bicavam o chão por migalhas e em pulos dançavam, numa sincronia quase perfeita a segunda faixa do belíssimo novo disco de Toro Y Moi, New Beat. Essa inspiradora coincidência revela o quão mágico é este disco. Cada acorde, cada referência, cada vocalização de Chaz, reforça que estamos diante de um disco diferenciado.

Underneath The Pine é a estréia de um grande e promissor projeto…

Agora pula o hipsternerd lá no fundo e grita:

“esse é o segundo disco do Toro Y Moi, blá blá blá”.

Ok! Mas Underneath… é tão incrível, que deixa muito pra trás uma das “pedras fundamentais” da chillwave, o Cause Of This, o primeiro disco do Toro. Visto que menos de um ano depois do estardalhaço causado pelas bases eletrônicas de Cause Of This, e todo o hype subseqüente. Chaz zera tudo e faz um disco praticamente analógico, com músicos de verdade (já conhecido da sua antiga banda The Heist and the Accomplice ) e com referências das mais diversas, que vão do psicodelia ao indie do The Whitest Boy Alive, rolando até um que de Soul Motown.

Pra exemplificar o que é esse disco pegamos Still Sound, com uma linha de baixo e uns barulhinhos que lembram muito The Whitest Boy Alive, mas também rola um swing muito Motown. Lógico que o disco não se resume a “swingueira” de Still Sound, a próxima faixa, Good Hold é uma psicodelia sem tamanho, e acredite te faz viajar mesmo, lá pelo final da música, sei lá de que maneira, rola um efeito que deixa o ouvinte surdo (se alguém souber o nome disso me conta).

Underneath The Pine é isso. Uma colagem de referências que resultam no possível melhor álbum de 2011. Lógico que concorrentes não faltam, mas com certeza esse disco figurará em 10 de 10 listas de final de ano.

New Beat

Still Sound

Boas Enjambradas!

Anúncios